Cancel Preloader

Festa de final de ano do Jardim de Infância da E.B. de Forjães

  • Avelino Oliveira
  • 21 Jun, 2019
  • 0 Comentários
  • 1 Min Read

No passado dia 19 de junho, o jardim de infância da E.B. de Forjães apresentou, no Centro Cultural de Forjães, um musical baseado no livro “Meninos de todas as cores” de Maria Luísa Ducla Soares.

Trata-se de um tema em que a escritora transmite uma mensagem anti-racista, apelando à convivência social e à integração da diferença, acreditando firmemente na ideia de que o mundo pode ser melhor e não uma utopia. Sustentado no projeto do Agrupamento, “Escola criativa a formar cidadãos”, pretendeu-se, através do lema da verdadeira inclusão, sensibilizar as crianças e adultos para a importância de darmos as mãos e formarmos um mundo melhor e mais colorido.

As educadoras em articulação com o professor Gonçalo do Projeto de Educação Musical da Câmara Municipal de Esposende, realizaram uma adaptação do texto que culminou numa apresentação para a Comunidade Educativa.

Nessa viagem, a “Maria de Forjães” encontra meninos de todas as cores e fica a saber como é bom ser de cada uma das cores. Percorrendo diferentes países dos vários continentes, localizando no planisfério o percurso, utilizando como meio de transporte um avião da TAP as crianças foram pesquisando o que poderiam encontrar para além de meninos de diferentes cores. Assim, ficaram também a conhecer os animais mais caraterísticos, tipos de habitação, afetos, costumes, tradições, hábitos alimentares.

O melhor que podemos fazer pelas nossas crianças é dar-lhes um bom exemplo e deixá-las brincar e ser felizes. A Maria ficou feliz por ter amigos de todas as cores. Sejamos todos assim…

A salientar o convívio final preparado pelos representantes dos Pais e Encarregados de Educação das salas do jardim de infância, onde não faltou o Mickey e a Minnie para mimar os mais pequenos e o bolo dos finalistas para alegrar os mais adultos.

Agradecemos a todos aqueles que de alguma forma nos apoiaram, pois sem eles nada disto seria exequível.

“Não podemos fazer grandes coisas, só pequenas coisas com grande amor.” 

(Madre Teresa De Calcuta)